No Dia do Aposentado, Delegados contam significativas experiências vividas durante trajetória profissional

0

Após anos e anos de extrema dedicação à profissão, chega o momento do merecido descanso, já que boa parte da vida estava direcionada a cumprir seu ofício.

Hoje, 8 de novembro, é comemorado o Dia do Aposentado, por isso a ADEPOL/MS foi em busca de depoimentos de Delegados que fazem parte do quadro de servidores aposentados da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, para poder compartilhar, brevemente, seus feitos na carreira policial.

Confira, abaixo, os depoimentos especiais dos Delegados de Polícia:

Delegada Jaíza dos Santos Teixeira

Contabilizando 17 anos como policial civil e mais 8 no Tribunal de Justiça de MS, a delegada Jaíza ressalta, “escolhi ser delegada por sempre ter admirado o trabalho da polícia, de orientar a população e de restabelecer a ordem pública. Quem nunca sonhou em ser policial?”.

Durante sua carreira pôde realizar e colocar em prática projetos sociais, como o “Projeto DAMA: As mulheres primeiro…” – que consistia no atendimento itinerante da equipe da Delegacia da Mulher de Aquidauana, que se deslocava até bairros, distritos, escolas distantes, para prestar orientações a mulheres vítimas em potencial de violência. Inclusive, este projeto foi selecionado para representar MS em um workshop realizado pela Ong Viva Rio.

Mais do que um ‘descanso por tempo de serviço’, a delegada Jaíza aposentada aos 45 anos relata o que isso significa, “A aposentadoria me proporcionou a sensação de dever cumprido. E também a oportunidade que Deus me deu de acompanhar o crescimento do meu filho, já que me tornei mãe aos 40 anos”.

Delegado Jefferson Nereu Luppe

“Antes de ser Delegado de Polícia eu era oficial da Polícia Militar (PM) do Espírito Santo A CF de 1998 havia sido recém promulgada em relação ao concurso público de 1990, quando ingressei na PC/MS. Outorgou ao Delegado de Polícia maior responsabilidade de trabalho, mas também direitos e prerrogativas, o que tornou atraente ocupar este cargo”, declarou o delegado.

Sobre suas maiores conquistas no exercício da profissão, o delegado Nereu Luppe destaca que “poder galgar todas as classes, trabalhar no interior e nas diversas delegacias da Capital, na atividade fim e na atividade meio em várias assessorias da Delegacia-Geral, exercer a Diretoria do Instituto de Identificação e por mais de uma década ministrar aulas na Acadepol foram marcantes na minha carreira, como também ajudar a informatizar toda a Instituição e supri-la com o software SIGO, que orgulhosamente ajudei a construir”.

Para o Delegado Jefferson Nereu Luppe a aposentadoria representa dever cumprido. “Coloquei vários tijolos na construção. Dei lugar aos mais novos e saí ainda com idade de construir outros projetos com a família”.

Delegado Luiz Sérgio da Silva

Motivado pela principal essência que caracteriza o trabalho da Polícia Civil, o Delegado Luiz Sérgio é categórico ao afirmar: “Sempre procurei respostas e a polícia fornece as respostas mais emocionantes, pois sempre trazemos a lume [vir à luz]as respostas mais escondidas. Investigar sempre…”

Diferentes experiências vivenciadas, oriundo do estado do Paraná, onde foi investigador de polícia, o delegado aposentado lembra de alguns dos principais trabalhos e atuações na polícia civil deste estado onde atuou em resoluções de sequestros e na busca de informações utilizando equipamentos de interceptações telefônicas, de 2000 a 2017”.

Certo de ter feito o melhor pela carreira, o delegado Luiz Sérgio declara: “Cheguei ao final da carreira com força suficiente para trabalhar mais. O convívio na polícia foi ótimo, mas depois de 34 anos chegou o momento de olhar para minha família. A aposentadoria é somente da polícia e não do trabalho”.

Delegado Luiz Carlos Rodrigues da Silva

Já atuando como policial civil na Capital paulista (SP), o Delegado Luiz Carlos veio para Mato Grosso do Sul e continuou exercendo a profissão. Ele define como vocação sua escolha pela carreira.

Uma de suas maiores responsabilidades já atribuídas, enquanto Delegado de Polícia, foi quando esteve à frente de uma das principais delegacias do estado. “Ser Titular da DERF [Delegacia Especializada de Roubos e Furtos] por quase uma década foi uma grande satisfação”, disse.

Hoje o delegado, que exerceu suas funções durante muitos anos, classifica a chegada da aposentadoria como o merecimento do devido descanso, mas esquecer ou sem deixar de lado sua história com a Polícia Civil.

Delegado Alexandre Evangelista

Com 32 anos de serviço policial, o delegado Alexandre destaca que “esta foi mais uma grande e trabalhosa etapa que venci na vida”.

Para os que estão no serviço ativo, o delegado deixa uma mensagem: “Tenham resiliência, e façam o melhor por esta carreira tão importante para a sociedade. Espero que a nossa polícia se fortaleça cada vez mais, pois nem sempre o nosso trabalho recebe o justo reconhecimento”.

Especialmente neste dia, a ADEPOL/MS parabeniza os delegados e delegadas aposentados. Esses homens e mulheres que muito contribuíram e que de alguma forma ainda continuam auxiliando a Polícia Civil, servindo e protegendo a sociedade sul-mato-grossense.

Como já é tradição, a Associação do Delegados de Polícia de MS  realizará um almoço em comemoração ao Dia do Aposentado no  dia 18 de novembro (sábado), às 12 horas, no salão de festas da entidade.

Deixe uma resposta