Turma de delegados completa 11 anos de formação

0

Nesta semana, especificamente no dia 7 de agosto, a Turma de Delegados de 2006 completou 11 anos de formação. Logo abaixo, alguns delegados relatam a representatividade da carreira, o valor da união entre os colegas, a extrema dedicação ao ofício e a grandeza do significado pessoal da profissão.

Delegado Roberto Gurgel

“A carreira de Delegado de Polícia é a mais dinâmica das carreiras jurídicas. Com esta profissão é possível realizar tanto um trabalho de campo, como por exemplo ações monitoradas, interceptações telefônicas, como um trabalho jurídico”, assim o Delegado Roberto Gurgel define a sua profissão. Para ele esse dinamismo torna a carreira fascinante e foi por estes motivos que escolheu se tornar Delegado de Polícia.

Em relação às principais lembranças da carreira, Dr Gurgel relata que “são vários os casos em minha memória que me marcaram, mas destaco o resgate de uma criança de apenas três anos de idade durante um sequestro, e a prisão de um estelionatário que aplicou golpes em vários setores de uma cidade turística e que conseguimos sua prisão, em parceria com a Interpol, na Venezuela”.

Sobre os desafios da profissão, Dr Gurgel considera que são diários, mas o maior deles é ver a inversão de valores existentes na sociedade. “Quem atua de maneira correta acaba sendo penalizado, assim como a valorização da palavra de um criminoso e a desvalorização de um policial. O maior desafio hoje é ver que essa inversão de valores chegou em todos os setores da sociedade”, enfatiza.

“A nossa turma por ser relativamente pequena é muito unida, e a amizade prevalece. Com alguns colegas, em razão da distância, acabamos perdendo um pouco de contato, mas a maioria é muito próxima, temos até casos de um ser padrinho de casamento do outro, padrinho de filhos, enfim, somos muito próximos da maioria”, afirma Dr Gurgel.

Para o delegado, esses onze anos de profissão mostram que a cada período da carreira os desafios são diferentes, mas sempre fascinantes. Destacando que o amadurecimento vem com o passar do tempo, mas sem deixar de lado a gana e a vontade de fazer a diferença na sociedade.

Por fim, o Delegado deixa uma mensagem de agradecimento para a turma, por fazer parte dela e aprender sempre. “Desde os primeiros dias vi que estava ao redor de pessoas e profissionais diferenciados, onde meu crescimento como ser humano e Delegado de Polícia seria permanente. Obrigado, galera! Com vocês sigo sempre aprendendo muitas coisas”.

Delegada Daniela Kades

Representando o segmento feminino da turma de 2006, a Dra Daniela Kades revela “sempre vi a profissão policial com admiração, inclusive pelo histórico familiar”, o que a ajudou na escolha de sua profissão.

De todas as passagens importantes e diante de todos os trabalhos que já realizou, o que ela classifica como lembranças marcantes são “os olhares de recolhimento de vítimas ou de parentes destas, após a resolução de casos”.

Ao falar sobre os desafios da carreira, Dra Daniela destaca que logo em início de carreira, quando ainda era muito jovem e sem muita experiência, se deparou com a resistência e a não aceitação de alguns policiais antigos, além da ausência de recursos no dia a dia do trabalho.

A Delegada também ressalta o bom relacionamentos entre os colegas de turma, e em relação aos tempo de formação enfatiza, “Esses 11 anos mostram como o tempo passa rápido”.

Delegado João Davanço

“Desde a época da faculdade, as disciplinas de Direito Penal e Processo Penal despertaram meu interesse. Depois de me formar em Direito, a carreira de Delegado de Polícia foi a que escolhi, pelo fato de ser a única carreira jurídica que possibilita a primeira análise do fato criminoso, no calor dos acontecimentos, aplicando também a ciência da investigação. O Delegado, através da investigação, traz à tona a verdade real de fatos de difícil elucidação. Trata-se de uma carreira magnífica e para profissionais vocacionados”, isso é o que representa ser Delegado de Polícia para o Dr João Davanço.

Resgatando as recordações, o Delegado conta que todas as delegacias que passou houveram desafios e fatos marcantes, mas sempre com a boa lembrança do trabalho em equipe e companheirismo.

Dr Davanço lembra dos trabalhos realizados logo no início da carreira. “No interior, em Guia Lopes da Laguna, Regional de Jardim, minha primeira lotação de 2006 a 2009, um trabalho em conjunto com a Polícia Federal, em que prendemos uma quadrilha internacional de narcotraficantes. Em Campo Grande, na DEPAC, de 2009 a 2011, vários casos de repercussão, dentre eles destaco a prisão do lutador que matou o segurança em frente a uma casa noturna, além da importante missão de bem atender o público nas Depacs”.

O Delegado recorda, ainda, de outros fatos importantes no decorrer das suas atividades, e a satisfação do retorno em prestar atendimento às pessoas. “De 2011 a 2014, na DECO, a operação Pacto Contra o Crime, que resultou na prisão e indiciamento de mais de 100 integrantes de uma organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios. E de 2015 até agora, retornando para a DEPAC, o caso da prisão do Policial Rodoviário Federal que matou um empresário, além de novamente me dedicar à valorosa missão de atendimento ao público e a investigação preliminar do crime.

“Tudo na minha carreira ocorreu de forma muito natural e o meu principal desafio sempre foi trabalhar em equipe e extrair o potencial de cada servidor”, ressalta Dr Davanço.

O Delegado também destaca que embora sua turma seja pequena, sempre existiu ajuda mútua, respeito e colaboração entre os colegas. Segundo ele, a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul tem propiciado o crescimento dos profissionais em conjunto, com espaço para todos e a possibilidade de ocupação de posições de destaque e liderança.

Para o Dr João Davanço, os 11 anos dedicados à carreira de Delegado de Polícia Civil significa o acúmulo de aprendizado e experiência de uma década, e destaca que pode aprender muito mais, sempre trabalhando em equipe e visando uma sociedade mais segura.

“Gostaria de parabenizar os colegas por mais um ano dedicado a essa importantíssima carreira, todos agindo com humildade e sabedoria, rogando a Deus que sempre nos acompanhe em nossa jornada”, finaliza Dr Davanço.

A diretoria da ADEPOL/MS parabeniza os colegas da Turma de 2006 pela data comemorativa, que muito representa para cada um.

Deixe uma resposta