Turma de delegados comemora 27 anos de formação

0

Uma das primeiras turmas de Delegados de Polícia de Mato Grosso do Sul completou, no dia 3 de julho, 27 anos de posse. Esta é a terceira turma pertencente às fileiras da Polícia Civil do Estado.

A turma formou-se em 1990, pela então Academia Estadual de Segurança Pública (AESP). Na época, 78 novos delegados tomaram posse na Secretaria de Segurança Pública e foram designados para as delegacias da Capital e do Interior.

Atualmente, desses 78 colegas formados pela Academia, apenas 17 ainda se encontram em atividade. Outros 48 já fazem parte do quadro inativo, oito deixaram a Instituição por motivos diversos, e cinco Delegados faleceram, são eles: Claudinei Piedade, Renato Cesar Pereira, Carlos Roberto Bastos de Oliveira, Paulo Magalhães Araújo e Francisca de Fátima Catanante.

Um dos integrantes da Turma de 1990 é o Delegado Geral da Polícia Civil, Dr. Marcelo Vargas Lopes, que assim declarou: “É com alegria que nos juntamos para celebrar os 27 anos da nossa turma. Foram muitos desafios, mas com a graça de Deus vencemos a cada um deles. Parabéns a nós, que o bom Deus continue a nos proteger e a abençoar e que deixemos um legado que inspire as gerações vindouras”.

Durante os 27 anos de carreira, muitas lembranças ajudam a contar as histórias da turma, por isso, logo abaixo há depoimentos dos Delegados Edésio Rafael da Silva e Alexandre Amaral Evangelista, que fazem parte da Turma que leva o nome de Dr. Antônio Carlos dos Santos.

“Para mim, esses 27 anos representa a carreira que abracei como recém-formado em Direito. A minha vida sempre foi baseada na carreira de Delegado de Polícia”, assim o Dr. Edésio define sua profissão.

Sobre as lembranças marcantes, o Delegado recorda, “Quando tomamos posse, as delegacias já tinham sede própria, porém as cidades careciam de estrutura, havia muitas ruas sem asfalto, por exemplo. Tomei posse em Bataiporã e fiquei por lá durante quatro anos, e sei que muitos colegas que foram trabalhar em cidades vizinhas enfrentaram grandes adversidades”.

Dr. Edésio conta que, com o passar do tempo, a tecnologia se tornou grande aliada para estreitar os relacionamentos entre os colegas da turma, “Ultimamente temos procurado reunir todos os colegas, principalmente via Whatsapp. Diariamente nos falamos, e nos três últimos anos nos reunimos para um almoço ou uma festa. Já fizemos a confraternização dos 25, 26 e agora de 27 anos da turma”.

Também membro da turma, o Delegado Alexandre Amaral Evangelista ressalta que “os 27 anos de polícia é uma amostra do engajamento desses profissionais com a respectiva área, porque ficar 27 anos no mesmo tipo de serviço, comprometido com o anseio da sociedade e as dificuldades que a gente passou, carreira pouco valorizada, e ainda assim persistir, podemos considerá-la um sacerdócio.

Analisando a evolução da carreira policial da década de 90 até os dias de hoje, Dr. Alexandre também destaca que havia muita precariedade, “a deficiência em estrutura e infraestrutura era muito grande. Existiam delegacias sem telefone, o acesso às cidades do interior era por estrada de terra porque não tinha pavimentação, a maioria das delegacias eram prédios alugados. Uma vez fui trabalhar numa delegacia onde as janelas eram de tramelas, como você trabalha num lugar assim!? Então, a carreira evoluiu tanto economicamente quanto em relação ao respeito conquistado junto à sociedade. Naquela época, a imagem do Delegado era de uma pessoa truculenta, e hoje estamos como carreira jurídica, devidamente aceitada”.

Para o Delegado Alexandre, estar com os colegas de turma é rememorar passagens importantes, “rever os colegas é reviver o nosso passado. Às vezes o contato acaba se perdendo. Após a Academia cada um de nós foi seguir seu rumo, isso acabou distanciando uns dos outros. Antigamente não tinha a facilidade de comunicação que se tem hoje, e apesar de termos diferenças, todos se respeitam”. Os encontros são os momentos para discutirmos tudo o que fizemos nesse tempo”.

Mensagem para os colegas Delegados de turma de 1990

“Nós, que passamos pela Polícia Civil, deixamos nosso legado, os nossos serviços. Os mais jovens na carreira conseguiram uma melhor estrutura. Desejamos que os novos Delegados continuem trabalhando pela Polícia, como nós fizemos, a medida em que pudemos, e que possam carregar o nome da Polícia Civil sempre em evidência e com orgulho”, disse Dr. Edésio Rafael da Silva.

“Do início da nossa turma, de 3 de julho de 1990, que foi a assunção do cargo de Delegado de Polícia efetivamente até a data de hoje, o que nos separa é uma única coisa: o tempo. E, as adversidades devem ficar presas nesse tempo, não no presente e nem ser levadas para o futuro”, disse Dr. Alexandre Amaral Evangelista.

A Diretoria da ADEPOL/MS parabeniza os colegas da Turma de 1990 pela data comemorativa que muito representa para cada um.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta