Delegado do Amazonas tem trabalho inédito reconhecido internacionalmente

0

O Amazonas será destaque na Cidade do México, esta semana, de 20 a 23, no encontro da Law and Society Association que reúne pesquisadores de todo o mundo. O artigo “Segurança Pública e Violência no Amazonas: uma análise a partir da percepção da população e dos integrantes do sistema de justiça criminal”, de Mário Aufiero, Vicente Riccio, Paulo Fraga e André Zogahib, faz parte do último volume da renomada série Advance of Police Theory and Practice Series, Police and Society no Brasil e foi um dos selecionados para uma apresentação onde é possível trocar ideias e estabelecer parcerias com universidades e centros de pesquisas estrangeiros na cidade do México e também contribuir para o melhor trabalho na Amazônia.

 

Este é o primeiro encontro na América Latina, lar de uma comunidade de rápido e impressionante crescimento, de direito e de sociedade que concentram fortemente na mudança social, e também em processos pequenos, ocultos, quase despercebidos que ocorrem nas comunidades, à sombra da lei local. O tema da conferência fala de um mundo interconectado. A cidade do México é a capital cultural e jurídica, destacando-se no cenário da América Latina, o que a torna profundamente envolvida em questões que atravessam a fronteira mexicana e, de fato, que atravessam as fronteiras em geral.

 

O último volume da renomada série Advance of Police Theory and Practice Series, Police and Society no Brasil preenche uma lacuna na literatura inglesa sobre o policiamento em uma nação que atualmente ocupa o sexto lugar em número de homicídios. É uma leitura obrigatória para os profissionais da justiça criminal, bem como os estudantes do policiamento internacional. O livro em questão surgiu de uma parceria no congresso realizado em Berlim no ano de 2007 no qual o professor Vicente, teve a oportunidade de conhecer o professor Wesley Skogan, que abriu os canais internacionais para a realização do trabalho.

 

O artigo “Segurança Pública e Violência no Amazonas: uma análise a partir da percepção da população e dos integrantes do sistema de justiça criminal”, que foi selecionado, é o terceiro capitulo do livro Police and Society no Brasil que aborda os resultados da pesquisa acerca da percepção de operadores do sistema de segurança pública e da população a respeito da natureza do problema da violência do Estado, da adequação das instituições públicas para promover a segurança pública e de suas possíveis soluções, cujo objetivo visa aperfeiçoar o trabalho na Amazônia.

 

Segundo o autor do artigo, Mário Aufiero, estas questões estão inter-relacionadas, e apontam os problemas vinculados à construção de políticas públicas no Estado do Amazonas. “O presente trabalho está dividido em quatro seções: 1 – segurança, Estado e sociedade no Brasil; 2 – o problema da segurança na Amazônia; 3 – metodologia de pesquisa e resultados obtidos; 4 – conclusões. Ao final, o texto apresenta sugestões para o desenvolvimento de futuras pesquisas sobre a violência do espaço amazônico”, informou Aufiero, que espera reforçar as redes de pesquisa já existentes e abrir outras, além de prospectar a possibilidade de financiamento para futuros trabalhos e melhoria de trabalho na região.

 

De acordo com o coautor professor Vicente Riccio, o artigo resulta de um trabalho que fez com delegado Mário Aufiero na Polícia Civil. “Conheço o Dr. Mário, há mais de 10, e fui seu orientador de mestrado. Temos um interesse comum na temática da segurança pública e desejamos conhecer o problema a fundo. Espero que este artigo, gere benefícios e possa sensibilizar os gestores para os problemas relacionados à segurança que visa sua melhoria”, salientou o professor Vicente que esta muito feliz, pois este é o terceiro trabalho internacional sobre a segurança e a polícia no Amazonas que assina com colegas do Estado, onde tem forte ligação com o seu povo e sua cultura.

 

 

Perfil de Mário Aufiero

 

Mário Jumbo Miranda Aufiero é graduado em Direito pela Universidade Federal do Amazonas (2000) e Mestrado em Administração Pública (Segurança Pública) pela Fundação Getúlio Vargas – RJ (2008). Atualmente horista do Centro Universitário Nilton Lins e delegado de polícia – Polícia Civil, tendo experiência na área de Administração, com ênfase em Administração Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: segurança pública e polícia civil, onde já ocupou os cargos de secretário executivo de segurança e delegado geral adjunto de policia civil. Mario Jumbo Miranda Aufiero, também é Presidente da Associação de Delegados de Polícia Civil do Estado do Amazonas – ADEPOL/AM e vice-presidente regional Norte da ADEPOL/BR.

 

Abaixo o link do livro. O trabalho que será apresentado no México refere-se ao capítulo 3º do livro:

https://www.routledge.com/Police-and-Society-in-Brazil/Riccio-Skogan/p/book/9781498769037

 

 

Encontro internacional no México tem como tema direito e sociedade 2017

 

O encontro internacional é patrocinado conjuntamente pela Associação de Direito e Sociedade, pelo Comitê de Pesquisa em Sociologia do Direito e com a participação da Associação de Estudos Socio-Jurídicos, da Associação Japonesa de Sociologia do Direito e da Lei Canadense e Associação da Sociedade e outros grupos. A própria Cidade do México teve uma história turbulenta. Era a capital de um império, depois de uma colônia, e depois de uma república independente. Seu sistema legal mudou dramaticamente com cada volta da roda. Tem uma tradição única e rica. Uma cultura vibrante, mas também enfrentou questões de raça, gênero e classe. Questões de direitos humanos e questões de crescimento econômico que são muito mais universais.

 

Estudos de direito e sociedade se concentram fortemente na mudança social, ambos com relação a movimentos dinâmicos que varrem em todo o mundo e também em processos pequenos, ocultos, quase despercebidos que ocorrem nas comunidades, à sombra da lei local.

 

A Cidade do México é a capital cultural e legal do México. É também envolvida em questões que atravessam a fronteira mexicana e, de fato, as fronteiras em geral. Imigração e cidadania; Mudanças climáticas e proteção ambiental; Terrorismo e segurança; direitos humanos; Igualdade e desigualdade; Proteção de minorias; Crescimento econômico ou estagnação; Crime e punição – nenhum país é imune a problemas que têm uma dimensão internacional; Nenhum país pode operar de forma isolada. Desastres naturais e não naturais podem reverberar em outros países. Uma desaceleração econômica em uma parte do mundo tem efeitos de ondulação em qualquer outro lugar. Todas as nações estão unidas em uma espécie de nó gordiano. Ninguém pode desatar este nó.

 

Paredes e pontes: exclusão e inclusão. Todo mundo reconhece esses dois temas contraditórios. Eles hoje têm um grande papel na política nacional e no direito nacional. Na política internacional e no direito internacional. Uma declaração antiga e famosa dizia que toda política é local, mas hoje, toda política é, em certo sentido, global. Se o país a quiser fechar as suas fronteiras, e fechar de volta em si mesmo, é porque está reagindo à turbulência fora dos limites. Hoje, nenhuma parede pode ser suficientemente alta para excluir as forças que estão moldando a vida no século 21, para melhor ou pior.

 

O logotipo de 2017 desenhado pelo artista sul-africano Guy Jano Trangos transmite a relação complexa e multicamada entre direito e sociedade. Nas próprias palavras do artista, o logotipo: “representa conceitualmente a lei como uma grade, rígida no centro enquanto se expande e desfila para fora”. Vários grupos sociais são então construídos através de um retalho de cor. Alguns caem na grade racional da lei, e outros nas franjas ou na fronteira, onde inclui e exclui, e é moldado e construído. O logotipo também se baseia em uma multiplicidade de referências mexicanas contemporâneas e históricas. Mais importante ainda, o motivo de águia usado no logotipo é desenhado tanto da bandeira mexicana quanto da simbologia tradicional de Mexica. As cores são desenhadas a partir dos tons vibrantes do México, como visto em festivais, tecidos e edifícios. As linhas diagonais e os padrões de diamantes também refletem uma forte tradição de tecelagem e também representam uma vibrante grade de rua da cidade do México.

 

Ariana Carvalho, Assessoria de Comunicação- ADEPOL/AM

Deixe uma resposta